O Que é Epilepsia Canina ou Convulsão Canina

 

A Convulsão Canina, ou Epilepsia Canina é um fenômeno muito assustador para os donos de animais.

Elas podem ter diferentes níveis de intensidade. Por mais que pareçam desesperadoras, elas não causam dor no seu cachorro.

Basicamente a convulsão canina é um distúrbio neurológico, ou seja, são perturbações na atividade elétrica do cérebro.

Nós sabemos que o cérebro comanda os nossos movimentos, ele é o órgão principal do sistema nervoso. Por meio de nervos, leva os impulsos para os músculos que executam o movimento.

Quanto esse trabalho é afetado por alguma coisa, temos um descontrole nessa comunicação entre cérebro e músculos. Então ocorre uma convulsão.

Várias coisas podem causar esse problema nos impulsos cerebrais, e então acarretar em um ataque epilético no cachorro.

Mas existe uma forma de nos prepararmos para esse problema, e até mesmo tratá-lo. Primeiro precisamos entender o que pode causar esse problema.

O Que Causa a Epilepsia Canina?

Várias coisas podem causar um ataque epilético no cachorro, vou citar algumas delas. Então, se o seu cachorro já teve, ou tem alguma dessas coisas é bom ficar de olho.

Traumas: Alguma queda ou atropelamento que pode afetar o sistema nervoso

Fator Hereditário: Pode dar alguma crise mesmo estando bem novinho, entre o primeiro e o quinto ano de idade.

Tumor: Principalmente se afetar o sistema nervoso.

Infecção: Se seu cachorro tem ou já teve alguma doença causada por vírus, bactéria, fungo ou protozoário.

Estresse: Animais que estressam muito com fogos, ou banho, podem ter crise nessa situação.

Problemas Renais: Por causa do acumulo de ureia no sangue.

Problemas Cardíacos: Os problemas Vasculares podem desencadear uma crise convulsiva no cachorro.

Hipoglicemia: Quando o Cachorro se alimenta menos do que deveria.

Alimentação inadequada: Certos ingredientes presentes na alimentação do seu cachorro podem ser extremamente nocivos à saúde do seu cachorro. Sendo assim, Corantes e Flavorizantes são os principais responsáveis por desencadear a convulsão em cães.

Baixos níveis de cálcio: Normalmente depois do parto, uma cadela pode ter uma queda significante nos níveis de cálcio. Portanto o cérebro precisa de cálcio para regular sua atividade elétrica.

Então uma queda desse nutriente pode prejudicar o cérebro, assim levando a epilepsia canina.

Baixo Açúcar no sangue: a quantidade certa de açúcar no sangue é fundamental para o bom funcionamento do cérebro. Uma baixa quantidade pode causar flutuações elétricas no cérebro, e desencadear um ataque epilético no cachorro.

Deficiência alimentar: B1, deficiência de cálcio, insuficiência renal, hiperglicemia no caso do cachorro diabético, sobrecarga no fígado, hipoglicemia e outros podem servir de gatilho para o surgimento de quadros convulsivos.

 

Como Evitar que Seu Cachorro Comece a ter a Convulsão Canina

É verdade que algumas dessas causas nós não podemos prever, como quedas, traumas ou o fator hereditário. Mas a maioria desses fatores podem ser controlados se usarmos a alimentação certa.

Por Exemplo, problemas renais, cardíacos e hipoglicemia, podem ser tratados com uma dieta específica.

Além disso, baixo nível de nutrientes, vitaminas etc, podem ser tratados com uso de suplementos naturais na alimentação do seu cachorro.

Sem dúvida, um caminho natural é ótimo para aumentar o nível de nutrição do seu cão.

Uma dieta para ele deve ter alimentos com vitaminas e nutrientes de alta qualidade. Isso sem dúvida vai aumentar a longevidade do seu animal de estimação

Eu escrevi um PDF que mostra 3 dicas práticas que os especialistas em saúde animal usam para melhorar o quadro clínico e a saúde dos cães.

Para acessar esse PDF, é só se inscrever abaixo, é grátis.

Durante uma Crise de Convulsão Canina, o que Posso Fazer?

Primeiramente mantenha a calma, apague as luzes, leve crianças e outros animais para outro cômodo, deixe o ambiente mais silencioso e calmo e escuro possível, evite estímulos sonoros ou luminosos, são um estresse a mais que pode acabar prolongando a crise.

Afaste os objetos para evitar que seu cão se machuque, inclusive verifique que nenhum objeto possa cair sobre seu cão, ou se ele estiver no alto, certifique que ele não caia, o melhor é que o coloque no chão com cuidado.

Observe seu cachorro para analisar se as crises duram mais de 3 minutos ou se está se repetindo muitas vezes. Crises graves e longas podem ser fatais.

Quando a crise acabar, fique ao lado dele, converse com ele, o acalmando. Envolva seu cachorro em almofadas, sem o deslocar, para que não bata com a cabeça no chão.

Consulte um veterinário, explique como são as crises, quanto tempo duram, com qual frequência acontecem, e como você faz quando acontecem. O veterinário poderá examinar mais exatamente qual a causa dessas crises e indicar o melhor tipo de tratamento.

Epilepsia Canina é Transmissível?

Se você tem um cachorro sofrendo com epilepsia canina, e também tem outros cães em casa, você deve estar preocupado (a) se essa doença pode passar para seus outros cachorros.

Mas não se preocupe, a Epilepsia não é transmissível. Entretanto a única forma de um cão passar a epilepsia para outro é pela genética.

Portanto se seu cão começar a ter convulsões, não seria legal colocá-lo para cruzar, sua ninhada estaria comprometida.

Epilepsia Canina Deixa Sequelas? 

Como já vimos, a epilepsia é um problema neural, ou seja, uma desconexão do cérebro com os músculos.

Como eu te falei dois tópicos acima, quando seu cão estiver tendo uma convulsão você deve tomar alguns cuidados.

Além disso, caso esses cuidados não sejam tomados podem acontecer acidentes no momento da crise de convulsão canina.

Lesões e Acidentes: Como seu cachorro está sem controle dos seus membros, ele se envolver em algum acidente.

Talvez bater contra um objeto pontudo, ou que pode chegar a cortá-lo. Além disso os músculos ficam se contraindo e relaxando num ritmo frenético, isso pode causar lesões musculares.

Danos Cerebrais: Numa convulsão, o cérebro é o mais afetado, ele sofre uma forte carga de impulsos neurais.

Portanto, podem acontecer danos irreversíveis ao cérebro, prejudicando, talvez, alguns movimentos, raciocínio ou algum sentido canino.

Convulsão Canina Pode Matar?

É algo raro, mas infelizmente pode sim. O cachorro pode se afogar com a própria saliva, vômito ou dependendo, até sangue.

Além disso, uma crise de convulsão canina também pode interferir nas áreas cerebrais responsáveis por alguma função vital, como respiração ou batimento cardíaco.

Nesse caso, a convulsão causaria um descontrole nessas funções, acarretando em parada cardíaca, infarto ou asfixia por exemplo.

Epilepsia Canina não é um problema tranquilo, ou fácil de se lidar, mas é possível controlarmos.

Já vi casos de cães que tiveram crises por mais de 2 anos e com os cuidados certos e alimentação certa, eles se curaram completamente e nunca mais tiveram sequer uma crise.

Se você não me conhece, meu nome é Marcelo. Eu já ajudei mais de 10.000 pessoas a melhorar a saúde dos seus cães, prevenindo vários tipos de doenças e ajudando a dobrar a expectativa de vida deles. Se quiser, me segue lá no Instagram: @CachorroSaudavel

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *